sobre um sonho

/ quarta-feira, 15 de junho de 2011 /
depois daquele-incidente-que-todos-sabemos-qual-foi-mas-eu-não-me-sinto-a-vontade-para-repetir-sempre-que-quiser-escrever-sobre-ele, eu levantei a cabeça (ainda com as lagrimas lá, mas enfim) e prometi a mim mesma que iria trabalhar duro e ser boa com as pessoas. nunca eu causaria 1/10 da dor que o filho-da-puta me causou, física ou emocionalmente. eu me afastaria. eu trabalharia duro. eu daria minha vida, meu tempo livre, meu...tudo.

claro que quando a gente pensa nisso, com 15 anos, não sabemos de nada - e ainda não sei de nada, aos 20. mas eu passei pelos meus problemas (e ainda passo), e meio que esqueci disso. da minha promessa. da minha vontade. daquele momento que pensei nisso, o mais intenso da minha vida. eu nunca contei isso pra ninguém e decidi publicar aqui, já que vai servir de diario para um futuro próximo me provar o que passei. e, quem sabe, não sei, alguém como eu, encontre isso aqui e ache algum conforto. algum sentimento de solidariedade para si mesma. que não se sinta sozinha, como eu me senti durante anos e anos.

ver esses filmes, x-men, ler esses livros, equador, sempre me lembram do meu coração partido e minha jornada para tentar colar os pedacinhos no lugar, "working hard and being nice to people". de vez em quando eu sou tomada por aquela sensação de novo, minha cabeça voa e eu penso "o que eu estou fazendo? o que isso significa?" e fico pra baixo, triste, na lama, lembrando de como eu estou a quilometros e quilometros de distancia de quem eu queria ser um dia. e ainda quero.

mesmo não sendo a moda hoje em dia. eu quero ajudar. eu quero saber como e fazer algum tipo de justiça, ou diferença, ou pelo mesmo tentar. posso falhar (e todas as chances apontam que vou), mas pelo menos sei que, não sei, tentei.

estou abrindo uma caixinha aqui, gente. "trabalhe duro e seja boa com as pessoas". por favor, me cobrem isso, por mais ridículo que soe, por mais irreal que pareça. eu preciso disso. eu prometi a mim mesma.

mudando tudo, a partir de mim - o mais dificil -, a cada dia, a cada centímetro. e foda-se.

0 comentários:

 
Copyright © 2010 gaveta writer - diario ficticio, All rights reserved
Design by DZignine. Powered by Blogger